20 janeiro 2013

Como ser mulher: um divertido manifesto feminino – Caitlin Moran






Boa noite pessoal!

Para o post de hoje eu escolhi um livro bastante interessante e, até certo ponto, muito divertido. “Como ser mulher: um divertido manifesto feminino” de Caitlin Moran propõe falar de feminino e do feminismo através de experiências próprias.

Buscando certa linearidade temporal, a autora começa falando desde a adolescência até a vida adulta, colocando muitas experiências, pontos de vista e ideias próprias para defender a sua maneira de se ver e se colocar como mulher.

É claro que há certo drama, até porque ela vai falar sobre a juventude e, como a maioria já sabe, essa é uma época extremamente turbulenta e cheias de descobertas e pensamentos. É nesse ponto que ela conta sobre a própria família: pobre, com uma mãe estilo hippie, oito irmãos, uma cachorra e o pai.

Ao longo de todo esse período vivido, Caitlin narra, entre outras coisas, como ela era tão pouco feminina e como os outros jovens da sua idade a discriminavam por isso e por ser pobre; além de ter uma mãe que não acreditava em remédios nem quando seus filhos ficavam adoecidos; ou como ela tinha que usar as roupas íntimas antigas da mãe porque não tinham dinheiro para comprar novas.

Conforme o livro avança novas histórias são contadas. Masturbação, sexo, drogas, roupas, namoro, casamento, filhos e aborto. Uma lista enorme que carrega muitas passagens engraçadas e outras nem tanto, enquanto ela vai caminhando da adolescência para a vida adulta.

É importante colocar que junto com as todas as experiências vividas por ela há argumentos fundamentos em pessoas como Germaine Greer e até, quem diria!, Lady Gaga. Mas engana-se quem acha que ela passa o livro todo gritando um feminismo contra os homens. É claro que ela vai criticá-los também, mas não vai usar isso como base, transformando seu longo discurso em apenas “abaixo os homens”.

Um ótimo exemplo disso é quando ela fala sobre o machismo e como os homens veem todo mundo como “os caras”, independente do sexo, e como, para eles, as atitudes machistas não podem ser repreendidas pelo machismo contido nelas, mas apenas pela “falta de educação” para com o outro indivíduo.

Outro ponto que gostei muito e achei incentivador é quando a autora diz que feminismo não é queimar o sutiã, ou pelo não é só isso. Segundo ela qualquer mulher pode ser feminista desde que se considere uma e defenda a causa. Feminismo não é só defender uma bandeira, é antes de tudo defender a si mesmo enquanto mulher, independente do estilo ou de como se comporte.

Embora eu tenha gostado bastante do livro, duas coisas me incomodaram um pouco conforme fui terminando minha leitura: achei a finalização do livro muito rápida, e fiquei um pouco chocada com o aborto feito por ela. No caso do primeiro eu senti como se alguma coisa estivesse faltando, como se depois do aborto o texto tivesse ficado conciso demais. Já no caso do segundo, por questão de opinião mesmo, embora seja, de fato, “problema de cada um”, eu encaro o aborto como um assunto privado e achei a narrativa dela exposição demais, além, é claro de não concordar com o ato.

De qualquer forma essa é uma leitura muito gostosa, e recomendo sim a todas as mulheres que o leiam. É bom conhecer opiniões que sejam diferentes das nossas, mesmo que não concordemos com elas, afinal esse é um exercício de expansão da mente e de mudança de ângulo de visão.

Boa leitura e até o próximo post!

10 comentários:

  1. Gostei da resenha Mariane, esse livro já tinha me chamado a atenção no Skoob por causa da capa, mas agora fiquei com vontade de ler.
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Joana!
      Leia sim! É uma leitura bastante interessante.
      Bjos

      Excluir
  2. Não é um livro tão engraçado e inteligente quanto dizem na capa, mas é interessante e tem bons momentos e reflexões, tanto sobre ser mulher, como o título diz, quanto sobre o feminismo, que realmente não tem nada contra os homens, mas sim contra o machismo/sexismo. Feminismo não é o contrário de machismo, mas sim uma reação a ele, e o livro ajuda a quebrar mais esse mito. Eu tb não gostei de algumas partes, discordo de outras, mas assim como vc, acho a leitura superválida. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Samara,
      Obrigada!
      Concordo que tem propaganda demais e o livro, embora seja muito bom, não é tudo o que prometem.
      De qualquer forma eu achei que no começo tem algumas passagens engraçadas, mas ficou um pouco perdido no final, muito sério e passando rápido demais.
      Ainda assim é uma leitura bastante válida e interessante.
      Espero contar com seus comentários mais vezes por aqui!
      Até mais!

      Excluir
  3. Oi ^^

    Olha que interessante. Já tinha visto a foto da mulher com o braço forte várias vezes, mas não sabia que tinha um livro com esta foto =S
    O livro parece ser ótimo!

    Aguardo sua visita. Estou seguindo =)

    Beijos =*

    http://www.girlsupimpa.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      O livro é muito interessante, vale a leitura!
      Bjs

      Excluir
  4. Oie...
    Tudo bom?
    Eu vi este livro no skoob também e fiquei bem curiosa... depois de ler a resenha piorou a minha curiosidade hahaha

    Adorei seu blog... Já estou seguindo...
    Depois dá uma passadinha no meu para conhecer e se puder segui-lo ficarei muito grata... Relíquias da Lylu =D
    http://reliquiasdalylu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Pois é, quando li a sinopse desse livro eu também fiquei super curiosa e quis comprar na hora! Rsrsrs
      Bjos

      Excluir
  5. Interessante.. mas tbm fico meio receosa qd os livros tocam pontos polêmicos q não concordo... x.x http://coisasdebelaa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...
      Mas infelizmente não dá para ler e não se manifestar... Acho que o importante é saber se colocar sem tentar impor ou menosprezar a opinião do outro.

      Excluir

Seja bem-vindo (a) e comente à vontade, mas lembre-se que opinião é algo individual e particular, portanto não deve ser imposta!